Dr. Mario Celso Schmitt

Home

QUANDO CRESCER SE TORNA UM PROBLEMA

20/05/2015

Uma das grandes preocupações dos pais com relação à saúde de seus filhos diz respeito ao crescimento, mais especificamente se a criança não está desenvolvendo a estatura normalmente. Entretanto, especialistas alertam que é importante se preocupar também com a situação inversa, ou seja, quando o crescimento acontece acima dos padrões considerados normais.

A alta estatura, normalmente, é o resultado do potencial genético da criança, por ser filha de pais altos. Esse quadro é chamado de alta estatura constitucional ou familiar. Em geral, a preocupação dos pais com a alta estatura está mais voltada para as meninas, pelo receio de que venham se tornar mulheres muito altas, com problemas posturais ou descontentes com o tipo físico.

Em alguns casos a alta estatura ou o rápido ritmo de crescimento é decorrente de alguma doença, como por exemplo, a puberdade precoce. É claro que outros sinais estão associados como os caractéres puberais que aparecem precocemente. Síndromes genéticas também estão entre as causas do excesso de altura, dentre elas:
 

Síndrome de Klinefelter - afeta apenas homens, geralmente se caracteriza por magreza excessiva e um hipodesenvolvimento dos órgãos genitais.

Síndrome de Sotos - as crianças são grandes ao nascer, com o perímetro cefálico grande, crescem muito no primeiro ano de vida, apresentam hipotonia muscular e comprometimento cognitivo. Essa síndrome também é chamada de gigantismo cerebral.

Síndrome de Marfan - junto com a alta estatura, os pacientes apresentam braços muito longos e hiperextensibilidade das articulações.

Hipertireoidismo - acompanhado também da protrusão dos globos oculares (que ficam projetados para fora), aumento do volume da tireoide, sudorese excessiva, tremor das mãos, perda de peso, aumento da frequência evacuatória, irritabilidade e agitação.

Gigantismo - uma causa bastante rara de alta estatura, que decorre da produçao excessiva do hormônio de crescimento por um tumor na glândula hipófise, que se localizada no cérebro.
 

É fundamental o acompanhamento de rotina do crescimento de todas as crianças e adolescentes, para se detectar as situações de crescimento deficiente ou excessivo. Uma história familiar detalhada, o momento em que o ritmo acelerado de crescimento se iniciou e os sinais e sintomas associados são importantes para se estabelecer a investigação do crescimento excessivo e reconhecer a causa.

A causa do crescimento excessivo auxiliará na definição da necessidade e forma de tratamento. Uma vez diagnosticado o crescimento excessivo, o Endocrinologista Pediatra é o profissional indicado para definir se o crescimento é normal ou não, assim como a forma de tratamento, quando necessário.

Fonte: www.endocrino.org




Leia mais sobre crescimento:

Meu filho tem crescimento normal?

Baixa estatura na infância: quais são as causas e o que fazer

Meninos e meninas crescem iguais?



 

Galeria de Imagens
Compartilhar
Faça um Comentário