Dr. Mario Celso Schmitt

Home

ATIVIDADE FÍSICA NA INFÂNCIA

24/10/2014

 


Toda criança necessita exercitar-se diariamente, seja através de brincadeiras ou atividade física formal. O exercício físico diário reduz o risco de desenvolver doenças no futuro e previne a obesidade.

O lactente deve ter liberdade para se mover de acordo com o seu nível de desenvolvimento, a partir dos 6 meses já existem exercícios que estimulam o desenvolvimento. Um cercado permite à criança observar o ambiente, brincar e se apoiar para ficar de pé. A partir dos 10 meses a criança deve ter espaço para engatinhar e depois começar a andar com apoio. As crianças de 1 a 3 anos devem ser estimuladas à prática de atividades físicas. No pré-escolar de 4 a 7 anos são atividades indicadas atividades como andar, correr, pular, subir, nadar.

Especialistas alegam que direcionar para um esporte muito cedo pode privar o desenvolvimento de certos grupos musculares.


ATIVIDADE FÍSICA E ESPORTE

O esporte é a atividade física voltada à competição e resultados. O esporte desenvolve a sociabilidade (função do conjunto), respeito às regras (limites), empenho (essencial para o sucesso) e o modo de lidar com a vitória e a derrota. Mas atenção, também acarreta riscos de lesões físicas (luxação, fratura, rompimento de ligamentos, entorses), desidratação (pelo calor) e sobrecarga psicológica (conflito emocional).

Especialistas indicam que entre 8 e 11 anos já se pode indicar um esporte favorito, sem dar ênfase no aspecto competitivo. A partir dos 12 anos, então, pode-se iniciar um treinamento visando resultados.

A maturidade biológica da criança deve ser respeitada e evitar sobrecarga nos exercícios. Na mesma faixa etária existem grandes diferenças de maturação entre crianças. Assim, é preciso identificar o ritmo de crescimento e de maturidade pubertária de cada um, não levando em conta apenas a idade cronológica, a idade óssea também deve ser um dado de orientação.


BENEFÍCIOS DA ATIVIDADE FÍSICA

Desenvolvimento da força muscular, flexibilidade e resistência.

Melhoria da coordenação motora.

Vários estudos associam a prática de atividade física regular à maior capacidade de aprendizagem.

Fortalecimento do sistema imunológico.

Estímulo do metabolismo ósseo.

Aumento da capacidade respiratória e cardíaca.

Melhoria do humor e do apetite.

Prevenção da obesidade.

A longo prazo, diminui o risco de hipertensão, diabetes e cardiopatia isquêmica (arteriosclerose).

A infância é uma fase para introdução hábitos saudáveis.


QUANDO A ATIVIDADE FÍSICA NÃO É RECOMENDADA?

Não há contra-indicação, mesmo no caso de crianças doentes. Mas é necessário observar a etapa de desenvolvimento e as condições de cada criança. Devem ser evitados os exercícios de força e aqueles que hipertrofiam a massa muscular, pois os músculos enrijecidos prejudicam o crescimento ósseo.
O ideal é consultar sempre o pediatra, ele poderá fazer uma avaliação individualizada e segura.


RECOMENDAÇÕES

Os pais devem estimular a prática, mas sem cobrança excessiva de resultados.

Nas atividades com técnico e professor cabe ao profissional controlar a intensidade do treinamento levando em conta a idade adequada, o sexo, introdução gradativa, aumento gradual sem forçar, acompanhar o desenvolvimento. O professor também deve evitar a cobrança excessiva de resultados.

A atividade física e o esporte devem ser aliados da saúde e do bem-estar da criança.


Fonte de informação:
Departamento de pediatria ambulatorial. Sociedade Brasileira de Pediatria. Disponível em: http://www.sbp.com.br/show_item2.cfm?id_categoria=24&id_detalhe=1242&tipo_detalhe=S. Acesso em: 22.out.2014.
 

 

Galeria de Imagens
Compartilhar
Faça um Comentário